Informação para despertar consciências.

Cientistas alertam para a proximidade da sexta extinção em massa: “Avançou mais do que a maioria acha”
, / 22 0

Cientistas alertam para a proximidade da sexta extinção em massa: “Avançou mais do que a maioria acha”

PARTILHAR
Página Inicial Sustentabilidade Ambiente Cientistas alertam para a proximidade da sexta extinção em massa: “Avançou mais do que a maioria acha”

A sexta extinção em massa na história da Terra está a caminho e será mais agressiva que as anteriores, fruto da “aniquilação biológica” da vida selvagem que se tem verificado nas últimas décadas.

O estudo Biological annihilation via the ongoing sixth mass extinction signaled by vertebrate population losses and declines, publicado em março no PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States), determinou que “as extinções de população atuais são ordens de grandeza mais frequentes do que as extinções de espécies”.

No entanto, elas constituem um prelúdio para a extinção das espécies. “Então, o sexto episódio de extinção em massa da Terra avançou mais do que a maioria acha. A enorme perda de população já está a prejudicar os serviços que os ecossistemas proporcionam à civilização”, escrevem os cientistas nas conclusões do ensaio, que fez uma investigação geográfica através da distribuição de cada espécie pelos diferentes locais do ‘Planeta Azul’ ou por países em particular desde o ano de 1900.

Segundo os autores do relatório científico, Gerardo Ceballos, Paul Ehrlich e Rodolfo Dirz, basta olharmos para os mapas, que nos apercebemos de que até 50% do número de espécies de animais que antes partilhavam a Terra connosco já despareceram, assim como milhares de milhões de habitantes. “A consequente aniquilação biológica terá, obviamente, sérias consequências ecológicas, económicas e sociais. A humanidade acabará por pagar um preço muito alto pela diminuição do único conjunto de vida que conhecemos no universo”, esclarecem os especialistas na investigação, de acordo com o The Guardian.

No início deste ano, o colunista da CNN e especialista em aquecimento global John D. Sutter também já tinha alertado para este fenómeno. Na sua opinião, estamos a a menos de duas décadas de distância da próxima extinção em massa no planeta Terra e a primeira causada pelos seres-humanos. “Estamos a queimar combustíveis fósseis e consequentemente a aquecer o planeta; transformamos pedaços maciços de terra em quintas; causamos a disseminação de espécies e doenças invasoras em todo o mundo”, explicou o perito. “Consumimos cada vez mais recursos; e causamos todo o tipo de problemas para os oceanos, desde a sobrepesca até enche-lo de plástico”.

Mariana Bandeira | Jornal Económico

 

Deixar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.

PASSWORD RESET

LOG IN